terça-feira, 22 de junho de 2010

Thinking about...

Quem tiver os créditos dessa imagem, favor avisar a direção do cafofo. Tô tão cansada que hoje foi na base do copy-paste by google. Beijo me liga.

Não posso dizer que estou situada. Muita coisa ultimamente. Mas isso interessa tanto quanto o fato de eu não estar assistindo a nenhum jogo da copa do mundo, não saber o que o Dunga pensa da vida, não ter nenhum fio da meada pra um papo sobre favoritos ao título. Interessa tanto quanto eu ter ficado sabendo da morte do Saramago ontem, quando já tinha passado tudo. Tanto quanto eu estar sabendo dos humores e das dores do meu filho por telefone, não ter notícias do meu pai a meses, não fazer sexo nem amor a algum tempo. Não estar situada é tão absurdamente superficial quanto esse texto, quanto a greve total em Brasília, quanto o quinto rompimento de blá blá Júnior. Grave é o movimento das ondas do mar, inelegibilidades, desabrigados no nordeste, crescente massa de iletrados, proximidade das eleições 2010, buraco na camada de ozônio, sustentabilidade. Grave é não ter parâmetros pra sorrir o seu sorriso ou doer a sua dor.

7 comentários:

Guará Matos disse...

Grave!
E insustentável.
Bjs.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Gostei de ver que se isentou do mundo momentaneamente, principalmente de Copa do mundo e Dunga. Eu também me isento assim de vez em quando. Gostei do cafofo rs rs. Beijão

ErikaH Azzevedo disse...

Grave não é o não saber, grave é mesmo sabendo não poder agir, e mais grave ainda é não conseguiragir por ter no que acreditar.
É a fé que nos move né.

Ando tão vazia dessas utopias.

Não sonho mais o mundo..só sonho a mim.

Tuas palavras me tocam tanto e sempre tão profundamente....que meus comentários pra ti dariam posts, quem sabe né.


Bjos linda menina...minha.

Erikah

Isaac Melo disse...

Belle,

é verdade, às vezes, ficamos a par do que está acontecendo ao nosso redor. E percebemos que nem por isso elas deixam de acontecer. Eu vim saber da morte de Saramago por um amigo.
Mas o que não se pode é deixar de viver, e viver bem!
Você nos cativa!

Abraços!

Wanderley Elian Lima disse...

Grave, é não viver a vida plenamente.
Beijos

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Ele é sensitivo que nem você
Chega a fazer cócegas na alma.


Beijos meus

Texto beeeeeeeeeelooo

Bibi disse...

Grave não é somente não ter pé da realidade, mas perder o interesse em si próprio. A dor nos inocula e nos faz esquecer do mais importante, do eu-sem-dor, de que o amanhã é viável e possível e que continuar é preciso até porque as escolhas são sempre urgentes e desafiadoras.