quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

A vida não alcança a esperança



Eis que surge o fio de esperança no horizonte. Enquanto tenho pés enlameados, enquanto minha alma pisoteada ainda chora. Um fio cortante de esperança que pode, sim, atravessar o exato ponto de desvio da estrada. O fio que pode tecer solitário, recomeço de história que havia chegado ao fim, costurando vidas, almas, amores rasgados. Misteriosa a forma que o Universo tem de convencer a gente. Sigo pagando pra ver, meio incrédula, é verdade, mas a vida nunca alcança mesmo a esperança. Acaba antes.

4 comentários:

andrea disse...

Gostei mto desse trecho.Veio ao encontro do meu momento de vida... vc escreveu?

Um abaco, Dea

Belle disse...

Dea, eu escrevi o texto sim. A frase, no entanto, ouvi enquanto assistia a novela um dia desses e me atingiu em cheio. Beijocas, Belle.

andrea disse...

Entao fia, tao lindo ficou, pus no meu orkut, mas com aspas, viu? Na novela foi? Vc sabe o autor?
Bjokas
Dea

Belle disse...

Ô Dea, eu gostaria demais de saber, mas ainda não descobri, apesar de ter buscado pra caramba. Se souber, é só dizer, que publico imediatamente, ok?Beijoca, Boas Festas e volte sempre, amore.